A capacitação dos líderes para o desenvolvimento de um planejamento estratégico

ImagemDando prosseguimento a nossa discussão sobre a formação de líderes, hoje vamos falar sobre a importância da capacitação nesse processo. (Leia o primeiro post que fala sobre Líderes multiplicadores).

Ser líder e exercer liderança está intimamente ligado a desenvolvimento contínuo, superação de obstáculos, foco, ação, feedback e aprendizado constante.

De acordo com uma pesquisa realizada feita pela HSM e Empreenda Consultoria, 71% dos 687 executivos entrevistados afirmaram que suas empresas não possuem líderes na quantidade e qualidade suficientes para sustentar a estratégia de crescimento nos próximos 3 anos. A pesquisa também revelou que  um dos problemas dos atuais líderes é a falta de planejamento de longo prazo.

Por isso, hoje vamos falar de uma das mais importantes estratégias para suprir a carência de líderes nas empresas: a capacitação.

Ainda de acordo com a pesquisa pela realizada pela HSM e Empreenda Consultoria, os entrevistados apontaram como principais desafios dos líderes para o futuro:

  • Reter e motivar talentos (51% dos votos)
  • Executar a estratégia (42% dos votos)
  • Colocar as pessoas certas no lugar certo (40% dos votos)

Essas habilidades são necessárias em qualquer organização, seja de caçadores da idade da pedra ou de trabalhadores do conhecimento do século XXI, mas também são alcançáveis por qualquer pessoa que esteja disposto a aprender e aplicar as ferramentas certas.

Qual é a estratégia?

Parece algo simples de compreender, mas, nos programas de consultoria que implementamos para o desenvolvimento de Líderes Multiplicadores vemos que, na grande maioria, os líderes estão perdidos na organização, sem saber qual a estratégia deve ser seguida e  o que efetivamente devem cumprir na agenda diária, por isso, muitas vezes ocupam o seu tempo com atividades extremamente operacionais. Ou seja, uma hora que sai muito cara para a empresa, que é desperdiçada com atividades de execução, ao invés de estratégicas.

O pior é que o líder está com um foco tão operacional, que perde sua visão panorâmica do todo e nem percebe o tamanho do prejuízo.

Isso acontece por 2 principais motivos:  Falta de planejamento e falta de raciocínio estratégico.

O que fazer?

 Nesses casos o primeiro passo é ensinar o seu líder a gerir o seu tempo. Ensinar? Isso mesmo!
Dependendo do nível de maturidade do seu gestor, é necessário ajudá-lo a implementar uma ferramenta de gestão do tempo, que deve conter desde a definição de prioridades diárias, às metas para o cumprimento de tarefas e acompanhamento dos resultados. Se falta tempo para dedicar-se ao desenvolvimento de seus líderes, é aí que você pode contar com o apoio de uma consultoria.

Nossa recomendação é que ao implementar uma ferramenta de gestão do tempo, o acompanhamento seja semanal, a partir de reuniões com a liderança imediata e na medida em que for ganhando desenvoltura, passe a ser quinzenal ou mensal.

É de extrema importância que as atividades diárias contemplem no mínimo 70% de ações estratégicas, dentre elas: reuniões com a equipe de acompanhamento de resultados; reuniões intersetores para integração e cooperação entre as áreas; momentos regulares de feedback; análise de itens de controle do desempenho da equipe, que transformem esses itens em indicadores e medições objetivas de resultados; criação de manuais e cartilhas de continuidade, programa de formação dos colaboradores novatos em etapas, mini treinamentos e acompanhamento in loco das  atividades da equipe.

Um líder só pode ter conhecimento e domínio real do que acontece com a sua equipe, se estiver previsto em sua agenda momentos de observação in loco e de proximidade e feedback, com foco para o desenvolvimento e não para a simples execução.

Em nossas consultorias, ao implementarmos uma agenda com foco para o desenvolvimento de pessoas, vemos que é fundamental acompanhar o líder de perto, regulando e dando feedback do seu desempenho, até que assimile as novas funções e obtenha independência total da ACT. É neste momento que percebemos que o multiplicador dará continuidade a todas as padronizações que realizamos em conjunto com ele, de forma madura e assertiva.

E na sua empresa? Como tem sido realizado este processo de capacitação e desenvolvimento de líderes? Conte pra gente!

E se precisar, conte com o ACT Top! O diferencial do nosso trabalho é desenvolver multiplicadores com diferentes focos – comercial, atendimento, de gestão estratégica, dentre outros. Conheça mais!

Líderes multiplicadores: as pessoas rumo ao crescimento da empresa

Quem nunca teve problemas ao contar com colaboradores na empresa que não souberam executar suas funções de forma adequada para atingir aqueles resultados tão planejados?

Imagem

De acordo com a Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) existe um crescimento anual de 15,3% nos investimentos em educação corporativa. Em uma ordem de prioridade, os cursos de liderança ocupam o primeiro lugar do ranking, com 80% da preferência.

Sem dúvidas, o desenvolvimento de líderes é um investimento vital e uma etapa importante para garantir o crescimento contínuo de uma empresa. Para isso, as organizações devem identificar, desenvolver, promover, reter e transformar seus líderes em multiplicadores, como parte de uma estratégia contínua de desenvolvimento de talentos. E o mais interessante: os resultados de produtividade, redução de turnover, padronização, motivação e aumento da lucratividade do seu negócio serão visíveis no dia a dia! Vale a pena conferir!

# Mas como transformar seus líderes em multiplicadores?

Sabemos que hoje as pessoas não se mantêm no emprego simplesmente pelo salário, mas sim, por acreditarem nos propósitos da empresa e por se sentirem valorizadas e motivadas para o trabalho. É chegado o momento de pensarmos mais estrategicamente, de que forma os seus colaboradores sejam vitrines, cartões de visita e multiplicadores da cultura do seu negócio. Vamos aproveitar para rever algumas estratégias que indicamos muito em nossas consultorias!

  • Desenvolva programas de premiação e de reconhecimento

Uma boa maneira de motivar seus colaboradores é a partir de programas de endomarketing, com base no cumprimento de metas específicas. Um bom exemplo disso é do nosso cliente, Subway, que conseguiu resultados expressivos de engajamento, a partir do Programa Cookies de Vantagem que a ACT implementou. Leia o case Subway completo.

  • Capriche em ferramentas de interação e colaboração

Outra forma de manter a cultura é investir em programas internos de colaboração, por meio da criação de conteúdos explicativos da empresa. Isso é possível a partir de Portais de Colaboração Online e/ou Intranet, em que os próprios colaboradores se tornam peças chave do seu próprio aprendizado, a partir do envolvimento em enquetes, jogos empresariais, calendário para conhecimento de tudo que acontece na empresa, participação em fóruns, testes, dentre outras diversas possibilidades de interação com tudo que acontece na organização.

  • Faça do seu líder um modelo de sucesso

E se você deseja iniciar com uma medida mais simples, com baixa geração de custos, temos algo prático para te recomendar. É essencial capacitar o seu multiplicador, para que ele aprenda e seja capaz de identificar o que motiva sua equipe de trabalho e como cada pessoa se sente valorizada na organização.

As equipes podem ser facilmente mapeadas por meio de testes padronizados que podem ser disponibilizados à empresa. A partir dos resultados destes testes, sabemos como as pessoas se sentem motivadas (se é, por exemplo, por uma promoção; pela realização profissional ou simplesmente por serem ouvidas) e o que elas realmente valorizam (família; financeiro; físico; profissional; espiritual, dentre outros). Este é o ponto chave para o sucesso das estratégias que você irá utilizar para reconhecer e motivar!

Sendo assim, os resultados dessa análise é o que muda totalmente o foco das ações internas e a forma de abordagem do seu multiplicador.

De nada adianta, por exemplo, criar um plano de carreira baseado em promoções, sendo que sua equipe não é motivada por ‘poder’, mas sim, pelo que chamamos de ‘afiliação’. Tal investimento pode ir por água abaixo e gerar insatisfação. Ou, até mesmo, você pode criar um plano de metas que gera benefícios salariais e essa pode ser uma excelente estratégia, ao ser aplicada para uma equipe comercial, que valoriza o reconhecimento financeiro. Já para outros colaboradores, com diferentes perfis, pode não surtir o mesmo efeito e gerar problemas de comunicação interna e insatisfação.

As estratégias são muitas, mas vão exigir uma análise e um plano de ação que se aplique à sua empresa! E você, o que tem feito para envolver os seus colaboradores no plano de metas e resultados que você busca? Conte para nós!

Conte com a ACT para o que for preciso neste processo. O diferencial do nosso trabalho é desenvolver multiplicadores com diferentes focos – comercial, atendimento, gestão da comunicação propriamente dita, liderança, performance comunicativa, integração, formação de instrutores internos, dentre outros. Conheça os nossos programas de consultoria para formar suas lideranças em todas essas etapas.